COMUNICAÇÃO COM IDOSAS

//COMUNICAÇÃO COM IDOSAS

COMUNICAÇÃO COM IDOSAS

COMUNICAÇÃO: Com o processo do envelhecimento, várias estruturas do corpo são comprometidas, interferindo na comunicação. Destacamos entre as mais importantes os ouvidos, os olhos e a fala.  As doenças mais comuns que afetam a comunicação do idoso são: o derrame cerebral. A hipertensão arterial, o infarto, a arteriosclerose, as doenças mentais e as demências, as quedas e os acidentes, a perda da memória ou esquecimento, a fadiga fácil e outras situações.

Como ajudar o idoso na comunicação :

  • Evite as situações que possam gerar no idoso sentimento de ansiedade ou aborrecimento;
  • Mantenha o ambiente confortável, calmo, agradável, o quarto bem iluminado para reduzir a estranheza, a insegurança e o medo;
  • Aceite o idoso como ele é agora, sem julgá-lo ou criticá-lo;
  • Converse diretamente com ele, chame-o pelo nome toda vez que fizer contato, toque-o quando lhe falar, pegue sua mão;
  • Responda às perguntas com frases curtas e simples;
  • Use palavras de alerta como: escute, olhe, veja, com flexão de voz carinhosa;
  • Fale sempre de frente para o idoso, lentamente, expondo uma ideia de cada vez, encarando-o;
  • Complemente sua fala com gestos quando necessário;
  • Mantenha-o orientado no tempo e no espaço: todas as manhãs e sempre que necessário lembre-se da hora, da data, do local onde está;
  • Providencie para que o idoso não deixe de usar óculos, aparelho auditivo, dentadura ou outras próteses que tiver;
  • Dê ao idoso tempo para escutar, aprender e adaptar-se, recusar e defender-se. Incentive-o a tomar decisões e fazer escolhas;
  • Preste atenção ao que ele diz. Ouça mais do que fale;
  • Demonstre que você entendeu o que ele disse e verifique se ele compreende o que você está dizendo;
  • Evite dirigir-se ao idoso com gestos bruscos, aos gritos, fala agressiva, fazendo caretas, com impaciência, forçando movimento dos lábios para e fazer entender;

 Em casos de afasia (alteração da linguagem), além dos cuidados acima: Acrescente o uso de estímulos visuais aos auditivos;

 Seja coerente; usando as mesmas palavras em situações iguais, o entendimento se faz melhor;

 Solicite respostas do paciente, por exemplo: acene com a cabeça se você entendeu, reforce a resposta certa;

 Incentive-o a usar gestos, escrita, desenhos etc. até sua fala se normalizar;

 Empregue leituras, jogos, televisão, gravadores, cassete ou outros meios de sua cultura para estimular o seu interesse;

 Observe-o no seu programa diário com interesse. Não deixe que ele se canse. A fadiga exerce um efeito negativo na fala.

By |2019-04-12T15:36:44-03:00segunda-feira, 29 dezembro, 2014|Blog|0 Comentários

Deixar Um Comentário